segunda-feira, 5 de março de 2018

Freud do Dia

Em última análise, 
precisamos amar para não adoecer.