quarta-feira, 23 de maio de 2018

Ditadura Nunca Mais. Lugar de Milico é no Quartel


Por 300.000 reais, Maurício de Souza produziu 100.000 revistinhas em quadrinhos, com 100 páginas cada, com apenas uma história e alguns passatempos abordando o papel das Forças Armadas.

O chargista Dino Alves Alves, de Teresina (PI), não deixou por menos e fez a charge da Mônica em 1964, pendurada no pau-de-arara, instrumento de tortura usada pela Ditadura Militar.

Forte, mas necessário, enquanto não se apurar responsabilidades e punir os militares que compactuaram com as violações dos Direitos Humanos durante o regime dos generais (1964-1985)
.