quarta-feira, 27 de junho de 2018

Via Anderson França



Manuela D'Ávila foi alvo de machismo. Antes de ser alvo ideológico, na verdade, não há nada de ideologia, depois do que fizeram com Dilma, não tem quem me garanta que a questão aqui seja apenas ideológica.

E porque interromperam Manuela 62 vezes, e Ciro apenas 8? E porque não fizeram com Boulos? E porque não fizeram com Marina?

Porque nenhum destes tem em prioridade pautas feministas, e em primeira pessoa, caso da Manuela.

O objetivo ali era desqualificar a habilidade da PESSOA. Não que Manuela vá ser presidente, mas é garantir que ela seja desqualificada nacionalmente como mulher de direitos, capaz de defender a si própria e outras milhões de mulheres não alinhadas com as pautas machistas, existentes na direita e na esquerda.

Nenhuma diferença há entre os jornalistas e os caras que humilharam a jornalista russa. Cheguei a pensar que eles, em pessoa, tinham conseguido um emprego na TV Cultura Deveria deixar de se chamar Roda Viva, pra Buceta Rosa. Faz jus ao nome.

Aí, Caruso, na próxima vai, e faz um desenho digno.

Parabéns para Manuela.

As pautas humanitárias, de raça e gênero precisam ser postas em prioridade.